Mais um post da deliciosa Mel Angel, saibam que geralmente eu começo a escrever e depois publico, não significa o conteúdo final, as vezes eu retorno e ponho mais algumas coisas no post.

 

Neste post vou falar sobre algo que é muito questionado na hora da entrevista de contratação

“Qual a sua preferencia?” ( no caso, a minha)

 

É muito importante separar as coisas, uma é a minha vida profissional e outra é a pessoal, ok? Logo essa pergunta vinda de um suposto cliente interessado precisa ser direcionado a minha atividade profissional. Quando eu me disponho a ser ativa e passiva é pq estou disposta a fazer, eu não vou me predispor a fazer algo que eu não quero e não goste, nem por dinheiro, por mais que eu precise.

Ser passiva é algo totalmente natural para mim, pois foi assim que iniciei minha vida sexual. Depois que eu conheci o prazer do pau, fui aprendendo a brincar com ele e consequentemente gostei também, dá prazer sentir o pau duro, assim como me dá prazer sentir um pau no meu cu. “Mas qual dos dois você gosta mais?” no sentido profissional, isso é muito relativo, tem clientes que atendo que gosto de ser ativa, pq vejo ele como passivo, pq ele chupa gostoso, pq ele dá o cu gostoso, pq acabamos nos deixando levar pelo clima que se cria na hora do programa (isso é fundamental para minha preferencia). Por outro lado tem cliente que já prefiro ser mais passiva, pelo jeito dele, por sentir que é isso que faz ele sentir tesão, que o tesão dele é me pegar de quatro e meter no meu cu ate gozar. Isso também não significa que possamos fazer os dois na hora. Eu costumo dizer que o que manda é o meu pau duro, meu pau ficou duro amore eu meto e muito das vezes já convenci clientes que não tinham a pretensão nenhuma de serem passivos e acabaram sendo.

Então esse pergunta não tem uma reposta exata, o clima e o prazer é que vai mandar, pronto e acabou-se. Se me proponho a ser ativa, eu serei, se passiva, serei, se os dois, serei. É obvio que já aconteceram incidentes de eu não conseguir, por exemplo, me excitar. Foram poucas as vezes, mas aconteceu. Além de outro fator também muito importante, se num dia de atendimento eu já fui ativa umas 3,4 vezes é obvio que chega uma hora que não vou querer mais ser ativa e nem vou conseguir, se aparecer um ativo é logico que minha preferencia será dar.

Isso me faz lembrar de uma vez que fui muto ativa num dia de trabalho e no fim dia, já tarde da noite alias, um cliente já muito frequentador, me ligou e queria minha companhia e eu sabia que ele era passivo apenas. Fui sincera e disse que eu não conseguia mais comer, já tinha atendido muitos clientes no dia e tal. Ele super compreensivo falou que iria assim mesmo e que o importante era estar na minha companhia (achei isso tão fofo). Chegou, o recebi, nos beijamos e nos abraçamos, ele tirou a roupa e deitou na cama comigo, apagamos a luz e deixamos só a da tv e de um corredor. Começamos a nos agarrar, beija daqui, toca dali, chupa daqui e de repente não é que o bicho despertou, e despertou mesmo ficou duraço. Ai não contei conversa e já fui metendo pra aproveitar a situação, ele ficou super feliz, lógico. Conclusão, mais uma gozada que me deixou morta, depois que ele foi embora feliz e eu quase sem alma (rsrsrs), tomei um banho, comi e dormi. “Por hoje chega!” – pensei.

A preferencia é ser bem tratada e deixar um clima acontecer. É logico que o combinado será feito e o sexo será garantido.

Lembrando que isso é comigo, não se aplica as outras trans e travestis acompanhantes.

 

E você, prefere Mel ativa…

 

… ou passiva?

 

 

OBS.: Não esqueça de deixar seu comentário, isso significa que você esta gostando ou está lendo os posts e quer ver eu produzindo mais. Sua interação é importante até mesmo para que me tragam ideias do que relatar ou conteúdos para trazer.

 

Beijos da Mel!